Artigos

Professores no Bengo suspendem greve até julho

Os professores da província angolana do Bengo suspenderam hoje a greve iniciada na última semana e retomaram já esta tarde as aulas, aguardando que as preocupações apresentadas "sejam resolvidas na totalidade até 20 de Julho".

A informação hoje avançada pelo porta-voz do Sindicato dos Professores (Sinprof) no Bengo dá conta que a decisão foi deliberada em assembleia, tendo-se apelado aos professores que retomassem os seus serviços em toda a província.

Em declarações hoje à agência Lusa, Mbaxi Paulino deu a conhecer que a decisão se deveu ao encontro "bastante produtivo" que o Sinprof manteve, terça-feira, com a entidade patronal.

De acordo com o sindicalista, a assembleia de professores concordou com o regresso às aulas, com garantias da direção de educação em resolver até 20 de julho o pagamento total dos valores em dívida.

"Nós, na verdade, abrimos uma exceção, dando margem para que o pagamento desta dívida seja concluído pelo menos até o dia 20 de julho, caso não, a assembleia poderá ver qual o próximo passo", sublinhou.

Mbaxi Paulino referiu que no encontro negocial desta terça-feira foram produzidas "resoluções favoráveis aos professores", sobretudo "a reposição da quota sindical e a renomeação de alguns dos doze coordenadores de disciplina exonerados, por terem aderido à greve nacional do mês de abril".

A dívida em atraso desde 2016 afetava 2.569 professores da província, mas nos últimos dias "já foram pagos mais de 650 docentes", disse anteriormente à Lusa o diretor provincial de Educação do Bengo, António Quino.

O ano letivo de 2017 em Angola arrancou oficialmente a 01 de fevereiro, com quase 10 milhões de alunos nos vários níveis de ensino, decorrendo as aulas até 15 de dezembro.